António Cabral, um grande amigo da Galiza.

Embora não o pareça, a cidade de Ourense está geminada com a de Vila Real do Tras-Os-Montes português. Nos últimos tempos a Câmara Municipal de Ourense esqueceu-se infelizmente deste facto, embora, pelo menos mantem vivo o Prémio de Poesia “Cidade de Ourense”, que no seu dia tinha nascido desta geminação entre duas cidades bastante similares. Em Vila Real exerceu a sua profissão de docente e realizou o seu imenso labor cultural o nosso amigo António Cabral, falecido o 23 de outubro de 2007, à idade de 76 anos. No presente mês de outubro vai receber uma homenagem póstuma em Vila Real, na que colaboram a Câmara Municipal, o Grêmio Literário da cidade e o CCRVR. Cabral era um dos maiores expertos mundiais sobre jogos populares ou tradicionais, sobre os que publicou numerosos livros, e era convidado a participar nos congressos por vários países do mundo. Era um namorado da Galiza, e de Ourense em particular, participando desde 1981 em diversas edições das “Jornadas do Ensino de Galiza e Portugal”, celebradas em Compostela e Ourense, com temas tão interessantes e atrativos para os docentes como: “Os Jogos Populares e o Ensino”, “Teoria do Jogo”, “A perspectiva cultural dos Jogos Populares”, “O Jogo no Ensino” e “O modelo lúdico de ensino-aprendizagem”, entre outros. Também, graças à sua importante e decisiva mediação, desde 1983, se puderam celebrar várias edições dos “Encontros Galaico-Portugueses de Jogos Populares”, nas localidades de Vilar de Perdizes (com a inestimável colaboração do Padre Lourenço Fontes), Amoeiro por duas vezes, Vinhais, Vilardevós, Moncorvo, Corcubião, Peso da Régua, ademais da sua Vila Real. Na organização colaboravam de forma cooperativa a Associação Sócio-Pedagógica Galaico-Portuguesa (ASPGP), que tenho a bem presidir, o Fato Cultural “Os Chaos” de Parada de Amoeiro, dirigido por Chema Rodrígues, o Centro Cultural Regional de Vila Real (CCRVR) e a associação cultural de Vilar de Perdizes do Padre Fontes. Nos diferentes lugares também colaboravam as associações culturais de cada localidade, como a “Penas Livres” de Vilardevós e a Universidade Popular de Corcubião. Cabral chegou a reunir mais pessoas participando na sua cidade e comarca nos festivais e encontros de jogos populares, que a equipa de futebol local nos seus encontros de balão-pé. Algo inaudito que sempre comentava com orgulho.

Em alguma edição foi também membro do júri do prémio de poesia “Cidade de Ourense”. Porque ele foi também um grande poeta e romancista. Homem de dimensão humana rara, humilde sendo grande, estimulava sempre aos que queriam iniciar-se na escrita, Começou a ter problemas de saúde quando deixou de fumar. Tinha problemas cardíacos, e dois dias depois de falecer iam fazer-lhe uma intervenção cirúrgica.

Prof. Reformado da Universidade de Vigo, Presidente da Asociación Socio-Pedagóxica Galaico-Portuguesa (ASPGP) e Académico da Academia Galega da Língua Portuguesa (AGLP).

Outros artigos