• Segue conectado
  • |

25º Curtas: o maior Festival de sempre

O Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema vai decorrer entre 8 e 16 de julho, comemorando a sua 25ª edição

curtas vila do conde

Vila do Conde | Como não podia deixar de ser, no ano em que se celebra bodas de prata, a história do festival estará em destaque a partir de vários olhares, com uma carta branca e um livro partilhados por vinte e cinco individualidades que atuam em diversas áreas artísticas e culturais. Para além do Teatro Municipal e da Solar – Galeria de Arte Cinemática, o Curtas vai regressar também ao Auditório Municipal, a casa do festival entre 1993 e 2008, com concertos, sessões de cinema abertas ao público e uma exposição fotográfica retrospetiva de realizadores portugueses: “A Glória de Fazer Cinema em Portugal”.

A 25ª edição do Curtas Vila do Conde abrirá com a antestreia nacional da mais recente obra do finlandês Aki Kaurismäki, “O Outro Lado da Esperança”, estreado no último Festival de Berlim.

Em 2017, a Competição Nacional do Curtas Vila do Conde volta a ser o barómetro da produção portuguesa, com a estreia nacional dos últimos trabalhos de cineastas já habituais no festival e de autores internacionalmente premiados.

Por sua vez, a Competição Internacional procura dar a conhecer o que de mais importante e cativante tem surgido no cinema contemporâneo, permitindo acompanhar as mais recentes obras de realizadores já consagrados como Jia Zhangke, Ben Rivers, Yann Gonzalez, entre outros.

A Competição Curtinhas prova que o cinema para crianças pode ter um modelo diferente e surpreendente. O festival dedica, inclusive, toda uma secção ao público mais jovem. Além da competição, onde o júri é composto por crianças, o Curtinhas oferece um Espaço Infantil (onde os pais podem deixar os filhos enquanto assistem às sessões de cinema) e oficinas práticas. O Curtinhas arranca no primeiro dia do festival, a 8 de julho, com a exibição de Gru – O Mal Disposto 3.

Já a competição Take One! voltará a dar a conhecer os talentos saídos das escolas de cinema. Esta competição premiou, em anos anteriores, os primeiros trabalhos de cineastas como João Salaviza e Leonor Teles.

A secção Stereo, onde a música se funde com o cinema, recebe espetáculos de Mão Morta, Capitão Fausto, Pega Monstro, Evols, Chassol e Atlantic Coast Orchestra.

Como tem sido habitual, também este ano, o Curtas vai dedicar uma sessão de filmes que exploram os territórios de Vila do Conde e Póvoa de Varzim. Será no dia 9, às 17h, no Teatro Municipal, onde serão exibidos os filmes “Vaza” e “Um conto de duas cidades”. “Vaza” conta a história de Vânia, uma adolescente e caxineira como toda a sua família, desde sempre ligada ao mar. “Um conto de duas cidades” é um filme sobre a Póvoa de Varzim nas décadas de 1950 e 1960, visto a partir da sua comunidade piscatória e como estância turística.

Paralelamente ao festival, a Solar – Galeria de Arte Cinemática inaugura, a 8 de julho, uma exposição que representa uma nova geração de artistas que procuram estabelecer, a partir de diversas perspetivas, uma reflexão sobre a Terra.

O 25º Curtas Vila do Conde tem o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Ministério da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual, do programa MEDIA/Europa Criativa e de vários parceiros imprescindíveis à realização do festival.

Publicado o 2 Xul 2017 en Axenda, Vila do Conde.
Síguenos no noso canal do TELEGRAM

Iniciar sesión

Uso de cookies

Este sitio web utiliza as cookies para que vostede teña unha mellor experiencia de usuario. Si continúa navegando está a dar seu consentimento para a aceptación das mencionadas cookies e a aceptación da nosa política de cookies. Faga click no enlace para maior información. ACEPTAR

Aviso de cookies