Viana do Castelo acolhe exposição “As pegadas do Caminho de Santiago do Barbanza: A Orixe”

No Centro Interpretativo do Caminho Português da Costa

Viana do Castelo | O Centro Interpretativo do Caminho Português da Costa de Viana do Castelo acolhe, de 9 de julho até finais de setembro, a exposição “As pegadas do caminho de Santiago do Barbanza: A Orixe”.

Esta mostra visa fomentar o conhecimento de toda esta riqueza monumental, natural e antrópica entre a população e para incentivar a sua vivência prática.

A exposição, concebida com formato visual diáfano e de instalação singela, foi organizada pela Associação RelaxArt de Viana do Castelo e pela Asociación Amigos do Camiño de Santiago do Barbanza “A Orixe”, com sede em A Pobra do Caraminãl – Galiza, para a promoção e divulgação deste caminho.

Assim, a mostra é composta por 24 painéis com conteúdos onde estão reproduzidas imagens fotográficas a cores e breves textos explicativos.

A abertura da exposição, agendada para as 15h00 de 9 de julho, conta já com a confirmação de diversas entidades portuguesas e espanholas.

O Caminho de Santiago do Barbanza: A Orixe corresponde a uma nova Rota Jacobina que revive a chegada do Apóstolo às terras galegas. Este é um percurso de cerca de 120 quilómetros que liga o farol de Corrubedo (Ribeira) a Santiago de Compostela através de 6 etapas, percorrendo inteiramente a Galiza.

O peregrino parte do farol de Corrubedo, local único onde o Oceano Atlântico é protagonista, e depois entra na ria de Arousa, passando por cidades e vilas costeiras como a Ribeira, A Pobra do Caramiñal, Boiro ou Rianxo até se ligar ao Caminho Português para alcançar Padrón.

O nome deste caminho para Santiago, “A Orixe”, em português “A Origem”, baseia-se na história da chegada do Apóstolo à Galiza da Terra Santa. Conta que o corpo de Santiago O Maior foi trazido da Palestina pelos seus discípulos Teodoro e Atanasio num barco de pedra e que a sua viagem terminou navegando rio acima pela Ria de Arousa e pelo Río Ulla.

Outros artigos