Monção distingue cultura popular

Homenagem ao folclore e reconhecimento público aos “combatentes” do COVID 19

Monção | Celebração do Foral Afonsino marcado por homenagem ao folclore e reconhecimento público aos “combatentes” do COVID 19 no nosso concelho. No ato solene, foi ainda repudiada a invasão da Ucrânia pela Rússia e enaltecido o envolvimento da população monçanense no apoio ao povo ucraniano.

O Município de Monção assinalou, hoje, a outorga do foral, pelo Rei D. Afonso III, em 1261, com a entrega de títulos honoríficos e condecorações a três agrupamentos folclóricos do concelho Rancho Folclórico das Lavradeiras de S. Pedro de Merufe, Associação “Moleirinhos do Gadanha”, e Associação Sociocultural e Recreativa de Pinheiros, bem como a inauguração de escultura em homenagem ao folclore, da autoria de Pedro Figueiredo.

A celebração deste dia emblemático para o concelho de Monção, após dois anos de ausência, devido à pandemia, englobou, também, a entrega de votos de louvor às instituições, associações e junta de freguesia que estiveram na linha da frente do combate à COVID 19. A abrir a cerimónia, atuação da Banda Musical da Casa do Povo de Tangil.

Referindo-se ao primeiro foral como “ponto de partida de um povo aberto, solidário e empreendedor que defende e projeta, nos quatro cantos do mundo, o concelho de Monção”, António Barbosa afirmou que a retoma das comemorações do feriado municipal revela “um sentimento de esperança no presente e confiança no futuro”.

António Barbosa assinalou que “os homenageados deste ano são três dignos representantes da cultura etnográfica e popular, cujas atuações no país e no estrangeiro, tem levado longe o nome de Monção”, acrescentando que “este reconhecimento público, totalmente merecido, é revelador do seu contributo para a defesa e dinamização da nossa herança cultural”. “Com a entrega destas condecorações e a inauguração da escultura em homenagem ao folclore, queremos relevar a identidade cultural e etnográfica do nosso concelho, o qual encontra nos grupos folclóricos em exemplo vivo dessa ruralidade e autenticidade que, orgulhosamente, queremos preservar e valorizar” adiantou.

Combate à COVID 19 no concelho
A sessão comemorativa do foral afonsino englobou, também, a entrega de votos de louvor às instituições, associações e juntas de freguesias que estiveram na linha da frente do combate ao COVID 19. Ao longo do processo, que ainda não terminou, foram muitas as pessoas que deram o melhor de si em beneficio de todos.

António Barbosa, em nome dos monçanenses, agradeceu: “muito obrigado a todos por olharem de frente, sem receio, um problema de saúde publica que, em determinados períodos, causou bastante ansiedade e nervosismo na população. Muito obrigado a todos por estarem presentes e articularem, com eficácia, as medidas implementadas para suster o avanço do vírus e proteger as pessoas”.

Na cerimónia foi lembrada e condenada a invasão da Ucrânia pela Rússia, tendo António Barbosa endereçado um forte agradecimento aos monçanenses pela colaboração nesta causa justa e nobre, ajudando na angariação de donativos para apoiar as famílias ucranianas neste momento doloroso e angustiante.

Acrescentou: “Um exemplo solidário que engradece quem o pratica. Um exemplo louvável que enche de orgulho a nossa terra”.

Reforçar a centralidade de Monção
António Barbosa referiu que o plano de desenvolvimento do atual Executivo Municipal abrange uma multiplicidade de atividades e investimentos que vão da cultura à educação, do crescimento económico à preservação ambiental, da mobilidade urbana à valorização da rede viária municipal.

O objetivo, afirmou, é reforçar a centralidade de Monção, transformando o nosso Município num destino de excelência e num centro de inovação da região transfronteiriça.

Para a sua concretização, acrescentou, promovemos políticas ativas, autênticas e humanistas, feitas com base no diálogo, na partilha e na competência, falando sempre a verdade e agindo com rigor e transparência.

“Não tenho dúvida que seremos um dos concelhos de média dimensão mais procurados de Portugal. Esta certeza vem dos projetos que estão em curso, mas também dos prémios que recebemos em 2021: Município do ano da região norte com menos de 20 mil habitantes e Município Familiarmente responsável, o qual aconteceu pelo segundo ano consecutivo”

Marca Monção
E como ao celebrarmos o passado, estamos a apontar para o futuro, cimentando as bases no presente, António Barbosa referiu-se, ainda, à Marca Monção, convidando os presentes a marcarem presença na sessão de apresentação e lançamento, marcada para o dia 24 deste mês, pelas 21h30, no Cine Teatro João Verde.

“Inicialmente prevista para março de 2020, a Marca Monção é apresentada agora porque, a nosso ver, não faria sentido, nem teria a projeção desejada, caso o seu lançamento fosse em período de pandemia. Entendemos aguardar por melhores dias na evolução da doença e decidimos que o momento certo é agora” adiantou.

António Barbosa sublinhou que a implementação da Marca Monção privilegia o todo em vez das partes, visando uma maior notoriedade e fortalecimento da mensagem que queremos transmitir. Um desafio, disse, que envolve a visão e competência da minha equipa de trabalho e a capacidade empreendedora, cívica e associativa dos monçanenses. “O caminho faz-se em conjunto. Munícipes, autarcas, empresários, responsáveis sociais e dirigentes desportivos. Juntos vamos fazer de Monção uma terra de oportunidades, com vocação solidária e alcance empresarial. Uma terra de futuro, onde vale a pena viver e investir” concluiu.

Outros artigos