Linguagem oral, avaliar e previr precocemente

Sessões realizam-se nos dias 3 e 4 de fevereiro na Biblioteca Municipal de Monção, dirigindo-se a técnicos com intervenção na área social e educacional e a encarregados de educação com filhos no pré-escolar e no 1º CEB.

 

Monçao | No âmbito do projeto “Linguagem Oral – Avaliar e Intervir Precocemente”, financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, estão agendadas duas ações de formação dirigidas a encarregados de educação e a técnicos com intervenção na área social e educacional.
As sessões, a cargo de João Canossa Dias, decorrem nos dias 3 e 4 de fevereiro na Biblioteca Municipal de Monção. No dia 3, sexta-feira, pelas 21h00, está prevista a conferência “O Quebra-Cabeças: Como promover o domínio da leitura e escrita”. Com duração de 2h30, tem como destinatários pais com filhos no pré-escolar e no 1º CEB.
Nos dias 3 e 4, sexta-feira e sábado, a ação de formação destina-se a técnicos que atuam na área social e educacional. O tema geral é “Dificuldades na Comunicação, Linguagem e Fala: Compreender, Identificar e Prevenir”. No total, tem a duração de 12h00.
Formado em terapia da fala pela Escola Superior de Tecnologias da Saúde do Porto, João Canossa Dias é mestre na área das Ciências da Educação pela Universidade de Coimbra e graduado em Master of Science na área das perturbações da comunicação pela Universidade de Groningen.
O projeto “Linguagem Oral – Avaliar e Intervir Precocemente” têm como objetivos gerais a avaliação de todas as crianças de Monção com 4 anos nos diversos domínios da linguagem, a deteção de atrasos graves de desenvolvimento e a planificação de intervenções especializadas dirigidas às crianças com necessidades educativas especiais.
Pretende-se detetar e intervir precocemente para promover a reabilitação e integração escolar e social de crianças e jovens com necessidades educativas especiais. Contexto onde os educadores e encarregados de educação assumem um papel central quer na deteção quer na utilização de estratégias de intervenção.
O projeto, resultado de uma candidatura à Fundação Calouste Gulbenkian, envolve diversos parceiros: o Município de Monção, entidade promotora, o Agrupamento de Escolas de Monção e a Associação de Paralisia Cerebral de Viana do Castelo.

Outros artigos