Bienal de Cerveira: mais de 580 obras foram a concurso

O Concurso Internacional da XIX Bienal Internacional de Arte de Cerveira registou a participação de mais de três centenas de artistas, de 31 países, que se candidataram com 586 obras

Vila Nova de Cerveira |  O Júri de seleção foi composto pelo coordenador artístico da XIX Bienal Internacional de Arte de Cerveira, Cabral Pinto; pelo presidente do Conselho Científico da Fundação Bienal de Arte de Cerveira (FBAC), Henrique Silva, e pelos artistas plásticos Isabel Cabral, Margarida Leão e Rodrigo Cabral.

Nas palavras de Cabral Pinto, “o júri de seleção congratulou-se com o número de concorrentes e a elevada qualidade das obras apresentadas, tendo-se dado preferência a novos artistas que se tenham apresentado pela primeira vez e aos que demonstraram uma notória evolução no seu percurso”. O coordenador artístico da bienal de arte mais antiga do país revelou ainda uma novidade: “Este ano a mostra do Concurso Internacional terá lugar no Castelo de Cerveira e não no Fórum Cultural, como tem sido habitual”.

bienal

 

De lembrar que a XIX Bienal Internacional de Arte de Cerveira tem como tema “DA POP ARTE ÀS TRANS-VANGUARDAS, Apropriações da arte popular”, propondo uma reflexão sobre o choque tecnológico, conseguido pelo acumular do saber através dos séculos e pela identidade das populações.

Aproximando-se dos seus 40 anos, a 19.ª edição da Bienal Internacional de Arte de Cerveira presta a sua homenagem principal a um dos maiores nomes da pintura nacional e internacional, Paula Rego, tendo também sido anunciado o tributo ao escultor Jaime Azinheira (1944-2016).

Outros artigos