A Europa apoiou a valorização do Património Natural e Cultural de Melgaço

Com un milhão de euros de fundos FEDER

Melgaço | A Europa apoiou, com um valor próximo de um milhão de euros, a valorização do património natural e cultural em Melgaço. Este financiamento tornou possível as obras do Trilho do Laboreiro (PDR2020/FEADER); o desenvolvimento de uma estratégia para o Turismo; as obras do Trilho do Mouro; e a reabilitação, conservação e valorização da igreja e sua envolvente do Convento de São Salvador de Paderne (todos estes projetos no âmbito do NORTE2020/FEDER).

Neste sentido, e com o objetivo de informar os cidadãos sobre os temas relevantes da União Europeia para o concelho de Melgaço, o município, com o apoio do POAT (Programa Operacional Assistência Técnica), lançou a campanha “Europa em Melgaço, sabia que?”.

Os referidos projetos apoiados pelos fundos europeus (PT2020) tiveram como principal objetivo contribuir para a valorização do Património Natural e Cultural e colocá-lo ao serviço do desenvolvimento turístico e, através deste, o desenvolvimento dos territórios e seus habitantes.

“O turismo é uma das nossas apostas do nosso município, e continuará a ser, mas queremos um Turismo diferenciador. Único. Queremos dotar o nosso concelho de condições de excelência para a visitação e interpretação do vasto e rico património histórico, natural e cultural de Melgaço. E isto só é e tem sido possível com os apoios da União Europeia.”, considera Manoel Batista, presidente da Câmara Municipal de Melgaço.

Por um lado, com a valorização do património natural pretendeu-se dotar o município de um instrumento estratégico capaz de alavancar a economia com base nos seus recursos endógenos, criando, por exemplo, uma rede de percursos pedestres e cicláveis que visa uma fruição e interpretação do património natural e cultural do concelho, promovendo o turismo de natureza.

Trilho do Mouro
Este trilho desenvolve-se ao longo do vale do Rio Mouro e num total de 18,4 km.
Os rios são um dos traços mais marcantes das paisagens de Melgaço. Começam a sua vida como pequenos regatos alimentados por nascentes no cimo das serras e planaltos e depois vão-se juntando uns aos outros formando ribeiros e rios cada vez maiores. O Rio Mouro é resultado da confluência de três nascentes, todas em Lamas de Mouro, e daqui começa a ganhar consistência.

O seu pequeno caudal vai aumentado, percorre cerca de 30 quilómetros até desaguar na margem esquerda do Rio Minho, na localidade de Ponte de Mouro, concelho de Monção. No seu trajeto, propicia um contacto interessante com um rico e vasto património natural e paisagístico, sustentado em águas cristalinas, límpidas e refrescantes e pontuado por locais paradisíacos que apelam à reflexão e ao descanso. O apoio dos fundos comunitários foi no valor de, aproximadamente, 170 mil euros.

Trilho do Laboreiro
Este trilho permite um agradável percurso junto do Rio Laboreiro, que nasce no planalto castrejo, na vertente oeste da Serra do Laboreiro, junto à fronteira galega, atravessando todo o território. Ao infletir para sul, marca os limites entre as serras da Peneda e do Laboreiro. O percurso inicia-se na Vila de Castro Laboreiro, à direita da Igreja Paroquial. Pouco depois chega-se ao Núcleo Museológico e, logo de seguida, a um miradouro natural que permite uma vista panorâmica das cascatas do Laboreiro. A sul temos a ponte velha de Castro Laboreiro. E neste percurso, de 8,1 Km podem, ainda, ser apreciados os antigos moinhos de água utilizados no passado para moer o centeio. Teve um apoio de, aproximadamente, 150 mil euros do FEADER (PDR2020).

Já no que respeita ao património cultural, designadamente às obras de Reabilitação, Conservação e Valorização da Igreja do Convento de São Salvador de Paderne, com tal investimento «vamos devolver a dignidade material a este Monumento Nacional. O edifício apresentava graves condições de conservação, com risco de perda de património.

Queremos e estamos a proporcionar adequadas condições de conservação, valorização e visitação a este Monumento, potenciando a Igreja como um recurso ativo para o desenvolvimento do concelho, mas também da Região Norte no âmbito do Turismo Cultural e Religioso.», realça Manoel Batista. As obras de reabilitação, conservação e valorização da igreja, e sua envolvente, tiveram um apoio da Europa no valor de cerca de 500 mil euros.

Deixa unha resposta

Este sitio emprega Akismet para reducir o spam. Aprende como se procesan os datos dos teus comentarios.

Outros artigos