• Segue conectado
  • |

Plataforma arte e cultura ganha espaço fisico

Situada no último andar do Cine Teatro João Verde, a PAC complementa a oferta daquela sala de espetáculos e procura atrair o público jovem para as múltiplas facetas da atividade cultural.

Monçao | A Plataforma Arte e Cultura (PAC), serviço municipal apoiado pelos artistas monçanenses Ricardo Campos, Patrícia Oliveira, Paulo Lobato e Ilídio Castro, está no terreno há alguns meses com intervenções em espaços públicos e educativos, bem como na realização de manifestações culturais.

Na terça-feira, feriado municipal, ganhou um espaço físico no último andar do Cine Teatro João Verde. Ao longo da subida, são visíveis frases apologistas da cultura nos degraus e paredes. Chegados ao local, uma sala ampla que passará a receber pequenos espetáculos, ações de formação e oficinas de trabalho.

Será, podemos dizê-lo, um encontro com a cultura num espaço adaptado para complementar a oferta cultural do Cine Teatro João Verde e para incentivar a imaginação e criatividade junto dos jovens monçanenses, através da aprendizagem e aperfeiçoamento de áreas como o teatro, o desenho, a pintura ou a escultura.

Após dar as boas vindas aos presentes, João Oliveira, falou da atividade desenvolvida pela Plataforma Arte e Cultura, focando a pintura de murais nas escolas, a criação de presépio e ateliê na iniciativa “Monção – Vila Mágica”, a representação teatral no “Fim de Semana do Cordeiro à Moda de Monção – Maravilha de Portugal”, e a Mostra de Teatro Escolar “Represent`Art”, cuja apresentação decorrerá nos dias 6 e 7 de abril, no Cine Teatro João Verde.

Apelidando o novo espaço como “incubadora artística”, o responsável pela pasta da cultura acredita que “daqui surgirão boas ideias para a promoção cultural do território” e “para a criação de novos públicos vocacionados para a criação e fruição de atividades culturais”. Sustentou que a PAC está aberta a todas as pessoas que mostrem curiosidade pela cultura ou pretendam valorizar a sua vocação artística.

Antonio Barbosa congratulou-se com o aproveitamento daquele espaço, até agora sem qualquer utilização, e referiu que a aposta da cultura será sempre uma prioridade do atual executivo. Disse: “a cultura não pode ser vista como uma despesa, mas sim como um investimento, cujos frutos serão recolhidos mais tarde”.

Reafirmando a abertura da PAC a todos que a procurem, convidou os presentes a participar neste projeto: “Façam parte desta iniciativa. O vosso envolvimento, tornando este espaço vivo e dinâmico, é a melhor garantia que estamos no caminho certo, contribuindo para uma sociedade ativa e participativa”.

Publicado o 14 Mar 2019 en Cultura, Infraestructuras, Monção, Portada.
Síguenos no noso canal do TELEGRAM

Iniciar sesión

Uso de cookies

Este sitio web utiliza as cookies para que vostede teña unha mellor experiencia de usuario.
Si continúa navegando está a dar seu consentimento para a aceptación das mencionadas cookies e a aceptación da nosa política de cookies.
Faga click no enlace política de cookies para maior información. ACEPTAR

Aviso de cookies