PS do Alto Minho arranca com a campanha em Ponte de Lima

Numa demonstração de “força e espírito de unidade”

Alto Minho | Lista encabeçada por Tiago Brandão Rodrigues foi apresentada e teve o apoio de atuais e antigos Presidentes de Câmara socialistas do distrito de Viana do Castelo.

Foi com “grande mobilização e espírito de unidade” que o Partido Socialista do Alto Minho deu início ao período oficial de campanha eleitoral, em Ponte de Lima, na manhã deste domingo.

Rodeado de toda a sua equipa candidata às Legislativas de 30 de janeiro, Tiago Brandão Rodrigues recebeu o apoio dos atuais Presidentes de Câmara do distrito bem como o incentivo de antigos autarcas que quiseram estar presentes no Largo de Camões, no coração da antiga vila limiana. Rui Solheiro, Vassalo Abreu, José Emílio Moreira, Augusto Domingues, José Luís Serra e Valdemar Patrício foram alguns dos antigos Presidentes de Câmara que se apresentaram ao lado de Brandão Rodrigues, dando um sinal inequívoco de força e entusiasmo que foi verbalizado por Rui Solheiro, ex-Presidente da Câmara Municipal de Melgaço e atual Secretário-Geral da Associação Nacional de Municípios Portugueses, quando destacou “a unidade do PS do Alto Minho em torno do Governo e da lista liderada por Tiago Brandão Rodrigues”, bem como a necessidade do PS alcançar “uma maioria clara que permita uma governação estável em prol das pessoas, das empresas e das instituições do país”.

Solheiro lembrou “muito do legado” do Governo de António Costa no distrito, sublinhando “a modernização da Linha do Minho, o emparcelamento em Monção, a abertura da Unidade de Cuidados Continuados em Melgaço e as diversas obras em infraestruturas como a ligação de Paredes de Coura à A3 ou os acessos rodoviários ao Porto de Viana”, sem deixar de referir o “extraordinário legado” do Ministro da Educação, que “em seis anos requalificou 19 escolas do nosso distrito num investimento global de 32 milhões de euros”.

Coube a Tiago Brandão Rodrigues apresentar a “lista 100% Alto Minho” que se candidata sob a bandeira socialista – “com gente que é e conhece o distrito como ninguém” – e agradecer aparentemente emocionado a presença de “tantos autarcas que me habituei a admirar pelo seu trabalho e dedicação à causa pública”.

O cabeça de lista do PS apresentou-se motivado pela “extraordinária receção que tivemos nas ruas ao longo da pré-campanha” e vincou bem a motivação dos socialistas para estas eleições “que não foram desejadas pelo PS”. Tiago Brandão Rodrigues pediu aos presentes para “não se deixarem enganar” sobre os motivos da “coligação negativa que se formou entre a esquerda e a extrema-direita no Parlamento” para derrubar o Governo, afirmando que nestas eleições “estão em causa conceções diferentes sobre o serviço público que queremos, o Estado que defendemos e o Portugal que sonhamos. Desta vez, não podemos acusar a Direita de esconder ao que vem porque o que ela propõe é suficientemente claro para percebermos como desdenham a escola pública, como pretendem abrir a porta à privatização da Segurança Social e como desistiram do Serviço Nacional de Saúde”.

À margem da sessão pública, o courense foi ainda mais longe ao referir a sua perplexidade quando ouviu o líder do PSD dizer que os filhos tinham frequentado o ensino privado porque a escola pública não tem qualidade. “É falso e é de uma injustiça atroz para professores, educadores e funcionários. A comunidade educativa do país faz um grande trabalho e, se dúvidas houvesse, o que aconteceu durante a pandemia devia fazer refletir os políticos que querem assumir responsabilidades de governação neste país”. A campanha do PS prossegue em todos os concelhos do distrito de Viana do Castelo ao longo dos próximos dias e pode ser acompanhada pelas redes sociais do partido ou de cada um dos candidatos.

Tiago Brandão Rodrigues defende um Turismo sustentável assente no património e na paisagem
Candidatos do PS estiveram com agentes turísticos em Monção e visitaram o emparcelamento do vale do Gadanha.

Tiago Brandão Rodrigues e a lista que comanda, rumo às eleições de 30 de janeiro, estiveram em Monção em diálogo com empresários do sector turístico e puderam conhecer alguns dos projetos em andamento naquele concelho raiano. O cabeça-de-lista socialista, sempre acompanhado de perto pela candidata monçanense Sandra Vieites, visitou os Moinhos da Chinchila, espaço recente de turismo de alojamento local, que nasceu do impulso de uma família na recuperação de um antigo moinho datado de 1703. Toda a antiga história do edifício foi conservada pelos atuais proprietários que mantiveram os canais de água que seguiam até às mós e às aberturas da serração de madeira, visíveis através de vidro. A comitiva socialista também fez uma visita guiada ao Palácio da Brejoeira, tendo oportunidade para conhecer aquela grandiosa construção em estilo neoclássico, do início do séc. XIX, com jardins de estilo inglês, bem como a plantação de vinha e a sua adega.

Os candidatos tiveram ainda a oportunidade de dar uma volta de TUK TUK pelas paisagens do vale do Gadanha, momento descontraído proporcionado pela empresa By Monção pertencente a uma jovem empreendedora de Monção.

Para Tiago Brandão Rodrigues “é extraordinário como os números do Turismo vinham crescendo no Alto Minho antes na pandemia e de como se tem vindo a diversificar a oferta. As pessoas não procuram só os grandes centros urbanos, as praias ou os sabores irresistíveis da nossa gastronomia. As pessoas procuram tudo isso e a paisagem, o descanso do contexto rural, o património recuperado, a curiosidade associada aos mitos e tradições e a diversidade de ofertas que os nossos empresários vêm criando”.

No debate proporcionado por mais uma sessão do Fórum 100% Alto Minho, realizado na sede da Junta de Barroças e Taias e onde estiveram presentes Ângela Lopes da empresa de atividades turísticas By Monção, Teresa Amoedo responsável pelo empreendimento turístico Moinhos da Chinchila e Fernando Pereira, reconhecido empresário da restauração, surgiu a constatação de que é preciso virar a página da pandemia e retomar o caminho de crescimento do Turismo que se vinha sentindo até ao início de 2020. Para o líder da equipa socialista, “é necessário não perder mais tempo do que o necessário com esta crise política que o PS não quis e o país não compreendeu. Temos que pôr todos os atores da indústria do Turismo a trabalhar em conjunto, na certeza de que a valorização de um concelho ou de uma região corresponde à potenciação de todo um país. Temos de avançar e temos de o fazer num contexto de estabilidade para não pormos as empresas em constante sobressalto”, vincou Tiago Brandão Rodrigues.

Na visita efetuada a Monção, para além do cabeça-de-lista do PS e da candidata local, estiveram presentes Marina Gonçalves, José Maria e Costa, Anabela Rodrigues, Dora Brandão, João da Silva e Margarida Vasconcelos que tiveram a oportunidade de visitar o projeto de emparcelamento no vale do Gadanha, uma obra que avançou no primeiro mandato do Governo do Partido Socialista liderado por António Costa.

Reforço da cooperação transfronteiriça entre pessoas, empresas e instituições
Tiago Brandão Rodrigues defende a criação de um SIMPLEX Transfronteiriço que permita dar estatuto ao trabalhador da fronteira, implementar o 112 Transfronteiriço e criar o documento único para a circulação de menores.

À margem de uma ação de campanha no interior da Fortaleza de Valença, o cabeça de lista do Partido Socialista em Viana do Castelo defendeu a necessidade de se apoiar mais as iniciativas de cooperação entre as pessoas e as instituições dos dois lados da fronteira entre Portugal e Espanha.

Para Tiago Brandão Rodrigues, “quem nasceu e cresceu ao lado do rio Minho, sabe bem da importância que as relações de fronteira tiveram no passado e presente da nossa comunidade. O desafio, agora, é cuidar do futuro de uma região que abrange 6,3 milhões de cidadãos entre a Galiza e o Norte de Portugal e 370 mil pessoas só no vale do Minho. Para isso, é necessário valorizar o património, as línguas que nos permitem ter um enetendimento comum, a cultura e as tradições que partilhamos mas, sobretudo, potenciar a economia de fronteira.”

Para o líder socialista, não basta reafirmar as relações de amizade e de irmandade entre a Galiza e o Alto Minho, é preciso avançar com projetos concretos que ajudem as pessoas, as empresas e o comércio em particular, propondo “a criação de um SIMPLEX Transfronteiriço que permita efetivar o estatuto do trabalhador transfronteiriço discutido nas duas últimas cimeiras luso-espanholas, mas também a implementação do 112 transfronteiriço, a criação do documento único para a circulação de menores e o lançamento de programas específicos de apoio ao comércio”.

Na volta que deu no centro histórico de Valença acompanhado pelo Presidente da Câmara Municipal, José Manuel Carpinteira, pela deputada valenciana Anabela Rodrigues e por outros elementos da lista que lidera, Tiago Brandão Rodrigues foi recebido com carinho mas também com pedidos de apoio para superar o período pandémico. “As pessoas que vivem na fronteira, e os comerciantes em especial, têm passado momentos muito difíceis que queremos ajudar a superar.

Nas conversas que têm comigo reconhecem o trabalho do Governo nas grandes obras como a modernização da Linha do Minho e a aposta no comboio de alta velocidade que ligará o Porto a Vigo com passagem por Valença, mas o que me pedem mais são ações que, embora mais pequenas, possam ter um efeito imediato.

Esta proposta de simplificação de documentos e de processos entre quem vive e trabalha entre os dois países é fundamental para podermos cimentar um conjunto de relações que trarão sempre mais economia e mais riqueza ao Alto Minho”,  rematou Tiago Brandão Rodrigues.

O Partido Socialista continua a sua campanha por todo o distrito de Viana do Castelo, tendo já agendadas, para esta semana, mais três sessões do Fórum 100% Alto Minho que decorrerão em Paredes de Coura (quarta-feira), Caminha (quinta-feira) e Arcos de Valdevez (sexta-feira), todas após a hora de jantar.

Fundos europeus devem ser colocados ao serviço das empresas
Campanha socialista foi a Ponte da Barca e Arcos de Valdevez defender a redução de impostos sobre as empresas e o fim do Pagamento Especial por Conta.

A comitiva socialista que se apresenta às próximas eleições legislativas pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo visitou a feira quinzenal de Ponte da Barca, o comércio local em Arcos de Valdevez e reuniu com a Associação Comercial e Industrial Arcos Barca (ACIAB) para conhecer melhor os desafios da região e apresentar as principais medidas do PS para a economia e as empresas em particular.

Na equipa liderada por Marina Gonçalves, número dois da lista do PS pelo Alto Minho e atual Secretária de Estado da Habitação, estavam presentes José Maria Costa, antigo autarca de Viana do Castelo, Dora Brandão, deputada arcuense na Assembleia da República, Margarida Vasconcelos, autarca em Ponte da Barca e Presidente da Juventude Socialista do Alto Minho e Pedro Sousa Lobo, vereador na Câmara Municipal de Ponte da Barca.

Após a reunião mantida com os representantes da ACIAB, Marina Gonçalves agradeceu “a forma carinhosa como o PS foi recebido na feira da Barca e pelos comerciantes dos Arcos de Valdevez”, destacando a reunião de trabalho com a associação onde foi possível testemunhar histórias reais de “resiliência das empresas perante a crise pandémica e a esperança dos empresários num período de estabilidade que possa garantir mais crescimento económico e maior criação de riqueza”. A candidata natural de Caminha partilhou com os empresários a sua satisfação pelo facto do distrito apresentar uma balança comercial positiva e garantiu que “o PS pretende que Portugal possa atingir um volume de exportações equivalente a 53% do PIB já em 2030”. Para Marina Gonçalves, “o país tem pela frente o desafio da transformação digital do tecido empresarial, da criatividade e da inovação e, para o poder superar com sucesso, o Governo tem que reforçar parcerias com as empresas. É preciso continuar a reduzir os impostos sobre as pequenas e médias empresas, acabar definitivamente com o Pagamento Especial por Conta e alargar a capacidade de dedução à coleta do IRC dos lucros das empresas que invistam em inovação, transição climática, criação de emprego e melhoria de salários”. A candidata socialista diz mais: “O Estado deve continuar a investir nas infraestruturas que apoiam a economia mas no quadro da próxima década e dos instrumento disponíveis, não temos dúvidas em afirmar que é fundamental colocar os fundos europeus ao serviço das empresas”.

Nos próximos dois dias, o Partido Socialista tem previstas ações de campanha em Viana do Castelo e Caminha, regressando aos Arcos de Valdevez na tarde e noite de sexta-feira. Domingo à noite está agendado comício para o Teatro Sá de Miranda, em Viana do Castelo, que contará com a presença do Secretário-Geral do Partido Socialista, António Costa.

Outros artigos