Paredes de Coura antecipa o futuro com melhores accesos, emprego e nova zona industrial

Visão de futuro no marco do Dia do Município
Entrega de medalhas a alguns dos mais notáveis filhos de Paredes de Coura.

Paredes de Coura | Melhores acessos, mais emprego e uma nova zona industrial, a terceira, são em traços gerais alguns exemplos da boa governação que se faz em Paredes de Coura, que neste Dia do Município recorda o passado para projetar o sonho.

“A melhor maneira de procurar memória não é através da antecipação do futuro, mas sim da sua criação.  O que exige, antes de mais, trabalho, empenho, amor e capacidade de correr riscos. É a possibilidade de transformar e de abrir caminhos onde eles pareciam não existir, é ser capaz de construir o futuro através de modelos alternativos de desenvolvimento e isso não é possível sem coragem, sem poesia. Porque como dizia Teixeira de Pascoes sem poesia não há humanidade, sem poesia não há desenvolvimento, um verdadeiro desenvolvimento, acrescentamos nós”.

O presidente da Câmara de Paredes de Coura, Vitor Paulo Pereira, acrescenta que “uma terra é assim uma utopia. E uma utopia não é aquilo que não existe, ou simplesmente a miragem. Uma utopia é o esforço contínuo daqueles que aspiram a um ideal melhor. A utopia é o melhor alimento da esperança, da mudança, pelo ideal de alternativa que coloca ao presente. A utopia é sempre a bússola que nos indica o caminho quando tudo parece impossível”.

Linhares acolhe a terceira zona industrial com ligação à A3
É neste plano, que Paredes de Coura viu crescer algumas obras que pareciam impossíveis: “no contexto da pandemia não ficamos parados, apenas a gerir Covid. Foi neste período que alargamos e requalificamos a nossa zona industrial com um investimento de muitos milhões.

Até ao final de 2022 mais 3 fábricas nascerão no parque Empresarial de Formariz. Onde se prevê a criação de mais 300 postos de trabalho”, explicou Vitor Paulo Pereira, para quem uma nova zona industrial está para breve.

“Neste momento, já temos um grande investimento quase fechado que será implantado na terceira Zona Industrial de Linhares, junto à nova ligação da A3, que começará a ser implantado em outubro deste ano. Muitas das fábricas que fornecerão a Zendal, em Formariz, serão implantadas na nova zona Industrial de Linhares”.

“A Zona Industrial de Linhares é a resposta às novas necessidades criadas pela fábrica de vacinas”

“A Zona Industrial de Linhares é a resposta às novas necessidades criadas pela fábrica de vacinas”, explicou o presidente da Câmara, que também em breve proporcionará aos courenses uma obra reclamada há décadas, a ambicionada ligação à autoestrada A3.

6 M€  para ligar ao Parque Empresarial de Castanheira
“O ano de 2022 será o ano da conclusão da nova ligação à A3, que é o maior investimento que o nosso governo fez, nos últimos anos, num só concelho do Alto Minho. E já estamos a finalizar o novo projeto de ligação do Parque Empresarial de Formariz ao Parque Empresarial de Castanheira.

Uma obra que aumentará a competitividade deste último parque empresarial e aproximará a população das freguesias de Castanheira, Cunha, Bico, Cristelo e Vascões ao nó de Sapardos”, avançou Vitor Paulo Pereira, argumentando que com esta obra acabarão alguns constrangimentos rodoviários, retirará o trânsito de pesados do centro da vila e aumentará a segurança rodoviária: “este projecto terá um valor de 6 milhões de euros e será financiada por fundos comunitários”, garantiu.

Com toda esta nova dinâmica, de captação de investimento e criação de emprego, não pode ser desenhada fora de uma nova estratégia para habitação. Aspeto que ganhará forma com um projeto de 27 casas a custos controlados, localizado perto do centro urbano e que arrancará brevemente, bem como um outro projeto já numa fase avançada que prevê a construção de mais 54 habitações, na zona da Nogueira.

Mesmo com toda esta dinâmica apontada para a captação de investimento e criação de novas acessibilidades há muito reclamadas, o executivo liderado por Vitor Paulo Perera não se esqueceu das pessoas: “temos uma política focada nos problemas concretos das pessoas e focada em resultados concretos. Até ao momento o município já deliberou e atribuiu 1 milhão de euros em apoios sociais. Ao longo destes tempos difíceis estivemos sempre próximos daqueles que sofreram mais os efeitos indesejáveis desta pandemia. As famílias, as empresas, os comerciantes e as instituições sociais podem contar connosco nos tempos próximos que serão difíceis”, concluiu.

O Dia do Município em Paredes de Coura foi assinalado com uma cerimónia evocativa no Centro Cultural e da qual constou a entrega de medalhas a alguns dos mais notáveis filhos da terra, bem como a abertura da exposição ‘Colecção Mário Cláudio’, um “precioso documento para compreendermos a relação de Mário Cláudio com o meio artístico e com o tempo histórico em que vive”, como também explicou Vitor Paulo Pereira.

Do acervo do escritor constam muitos trabalhos de importantes nomes das artes seus contemporâneos, como Ângelo de Sousa, Armando Alves, Emerenciano, Fernando Lanhas, Graça Morais, João Cutileiro, José Rodrigues, Júlio Resende, Rosa Ramalho e Stuart Carvalhais, entre outros, “pedaços perfeitos de relações ou momentos de muitas vidas que se cruzam ou também a vontade solitária de procurar e querer.

No fundo, a colecção é um documento de um tempo perdido e belo, que, a cada olhar, a ausência faz regressar a memória ao tempo”, testemunha Vitor Paulo Pereira. Uma demonstração sentida gratidão para com o escritor, que escolheu para viver o lugar de Venade, no concelho de Paredes de Coura, e ao qual estão ligados muitos momentos da sua rica actividade literária.

Outros artigos