O município de Vila Nova de Famalicão e o município espanhol de Arteixo vão geminar-se.

NEA-VN de Famalicao

Vila Nova de Famalicão. | As duas capitais do Têxtil e da Moda da Euroregião Galiza – Norte de Portugal vão unir-se em prol de um projeto conjunto que visa o fortalecimento das duas comunidades a partir da partilha de informação, intercâmbio de experiencias e da promoção conjunta das suas potencialidades.

Vila Nova de Famalicão, um dos mais fortes municípios de Portugal em termos económicos, onde o sector têxtil e do vestuário tem a grande força do seu desenvolvimento, e Arteixo, onde teve origem e está sediada a Inditex, empresa que detém a insígnia Zara que emprega mais de 120 mil pessoas em todo o mundo, assumem a intenção de desenvolvimento de atividades conjuntas em diferentes sectores, tendo em vista o fortalecimento das respetivas comunidades e a sua afirmação no quadro da União Europeia .

Arteixo é um município da província da Corunha, comunidade autónoma da Galiza, com uma área de 94,62 km² e com uma população de 31 mil habitantes. O processo de geminação, que será objeto de análise na próxima reunião do executivo municipal famalicense, na quinta-feira, 11 de fevereiro, é apadrinhado pelo Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galicia-Norte de Portugal (GNP-AECT).

Este novo processo em Vila Nova de Famalicão marca o início do desenvolvimento de uma nova filosofia de geminações que o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, quer desenvolver no contexto da Europa a 28. Com esta nova etapa, Famalicão quer aproximar-se da Europa, crescer em conjunto com municípios dos países europeus que tenham identidades próximas do ADN famalicense e aproveitar potencialidades comuns para o desenvolvimento mutuo.

“Estamos a abrir um novo ciclo de geminações, perspetivado como uma aposta estratégica de Vila Nova de Famalicão para a sua afirmação e crescimento à escala europeia. Queremos crescer com a Europa, sendo simultaneamente emissor e recetor de contributos válidos para esse crescimento”, explica Paulo Cunha.

A esta nova política de geminações não é naturalmente indiferente o quadro de oportunidades aberto pela União Europeia para o financiamento de programas de cooperação transfronteiriça, que facilita o desenvolvimento de projetos comuns entre cidades e regiões de diferentes países da União Europeia.

Outros artigos