Melgaço vai queimar o Entrudo

Este dia 26 de fevereiro

Melgaço | No próximo sábado, dia 26 de fevereiro, Melgaço volta a queimar o ENTRUDO. O momento pretende recordar as tradições e costumes que em tempos animavam Castro Laboreiro e, este ano, e pela primeira vez, o certame conta com uma participação especial: os Folhateiros de Lobios, personagens tradicionais do Entrudo deste município da Galiza. O programa arranca com o habitual cortejo pelas ruas da vila de Melgaço, a partir das 17h00.

Vários grupos desfilarão rumo ao Largo Hermenegildo Solheiro, mostrando as suas máscaras e fantasias. O cortejo finda com o concurso “Mascarados”, onde o principal critério de avaliação será a “Identidade Cultural da Região (Melgaço e territórios transfronteiriços próximos)”, numa lógica de promoção da identidade territorial e da cultura local.

No final acontecerá a queima do ENTRUDO, o boneco vestido de roupas velhas: o ato representa a expulsão de todos os males e a purificação das mentes, mas dizem os populares que este momento simboliza também o desejo de que o inverno acabe e que a primavera comece.

Os Farralgalheiros
Outrora, na vila C(r)asteja, o Entroido, era assim que os habitantes designavam o seu Carnaval, era uma das festas mais participativas da freguesia. Havia diversão de sábado a terça-feira, com bailes e mascarados dispersos por vários recantos da vila. Não faltava o tradicional cozido à portuguesa e doces típicos. Tiros, bombas e foguetes anunciavam a festa.

Nessa altura, os Farrangalheiros saíam à rua, trajados a rigor: homens e mulheres vestiam o tradicional saiote castrejo tipicamente vermelho bordado e/ou decorado com cores garridas, as blusas e o lenço amarelo. O traje era composto pelo garruço, o objeto mais representativo do Entroido C(r)astejo: chapéus de cartão decorados com fitas e enfeites garridos que congregam uma renda que encobre o rosto dos Farrangalheiros.

Os Folhateiros de Lobios
Os Folhateiros de Lobios são as personagens tradicionais do Entrudo deste Município da Galiza. A recuperação da tradição remonta a 2018 e por iniciativa da Associação de Empresários e da empresa de animação Mira Xurés, com o intuito de trazer de volta esta identidade cultural do concelho.

“Neste sentido, e com recurso à memória viva da comunidade de Lobios, foram idealizados os trajes e a caracterização das personagens que tem como base todas as partes do milho, sobressaindo as folhas que envolvem as espigas, designadas, popularmente, por “Folhatos” – daí a origem do nome Folhateiros.”, atenta a associação.

Desde então, ainda com poucas apresentações públicas devido à situação pandémica, foi criada a Associação Folhateira/os que tem promovido algumas ações de recuperação e divulgação desta memória.

Neste contexto, Melgaço terá a honra de receber mais de uma dezena destas personagens para participar no Cortejo do ENTRUDO.

Concurso “Mascarados”
O concurso tem como objetivo premiar as melhores fantasias carnavalescas e o principal critério de avaliação será a “Identidade Cultural da Região (Melgaço e territórios transfronteiriços próximos)”, numa lógica de promoção da identidade territorial e da cultura local.

A concurso estarão três categorias diferentes:
I – Categoria Escola: exclusivamente para a comunidade escolar;
II – Categoria Individual: apresentação de candidatura individual;
III – Categoria “Carro Alegórico”: apresentação de candidatura coletiva.

O evento é organizado pelo Município de Melgaço, em colaboração com a Associação Empresarial Minho Fronteiriço.

Regulamento disponível aqui!

“BUUU | Por detrás da Máscara”
E ainda poderá visitar a exposição “BUUU | Por detrás da Máscara”, patente na Casa da Cultura até 31 de março.

Trata-se de uma exposição sobre a máscara e os seus rituais que une a ancestral e tradicional simbologia deste património a uma visão contemporânea, colocando ao dispor do público trabalhos fotográficos que refletem a máscara como um elemento icónico e intemporal, que muitas vezes esconde o verdadeiro eu.

A exposição, uma organização conjunta entre a autarquia e a Progestur, apresenta fotografias de máscaras de Portugal, Espanha e Itália, registadas e partilhadas por excecionais fotógrafos, nacionais e internacionais.

Outros artigos