Marca de Alvarinho ‘Dona Paterna’ celebra o Dia de Monção & Melgaço

Aposta pelas sinergias com os produtores locais

Melgaço | No dia 7 de junho (terça-feira), a marca de alvarinho Dona Paterna convida à celebração do Dia de Monção & Melgaço no restaurante Miradouro do Castelo, em Castro Laboreiro. Ao almoço ou jantar, todos os clientes serão brindados com um copo de vinho alvarinho Dona Paterna.

O dia 7 de junho assinala a conquista dos produtores da sub-região de Monção e Melgaço. A 7 de junho de 2017 foi criado o Selo de Garantia Exclusivo para Monção e Melgaço, certificado pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes. Desde então, todos os vinhos que tenham a denominação de Origem Vinho Verde, de uvas colhidas e vinificadas na sub-região de Monção e Melgaço, com menção a tal na rotulagem, e engarrafados por agentes da sub-região, podem usar este selo que certifica a autenticidade e genuinidade dos produtos provenientes de Monção e Melgaço, como forma de garantir que é esta sub-região que está na origem da casta alvarinho com características singulares.

“A sub-região de Monção e Melgaço tem condições naturais de microclima e solo que fazem desta um terroir único no mundo. Monção e Melgaço é a origem do alvarinho. Nós, produtores, temos de saber potenciar o que o território nos dá, e é muito. Conseguimos daqui fazer vinhos de excelência, reconhecidos por todo o mundo.”, refere o produtor Carlos Codesso, considerando que «esta iniciativa pretende ser uma forma de brindar quem visita o território, mas também a população, com o que de melhor este tem, que é o alvarinho e a excelente gastronomia, aliada à natureza tão característica do Alto Minho, onde estamos inseridos.”

O vinho Alvarinho Dona Paterna é um clássico
Um néctar cheio de delicadeza, frescura e mineralidade, com fruta branca delicada, citrinos, tons salinos e flores. Ideal como aperitivo ou para acompanhar mariscos, pratos de peixe ou pratos de carnes de aves. Deve ser bebido entre 10-11ºC.

Com esta ação, a marca Dona Paterna volta, uma vez mais, a apostar em sinergias com os produtores locais. “Só faz sentido criando experiências que envolvem o território. Os vários agentes que aqui atuam. A sub-região só faz sentido assim e, para isso, temos de trabalhar em conjunto. O visitante, o cliente, não quer apenas uma experiência ou produto, mas sim uma variedade de vivências.”, considera Carlos Codesso. Quem visitar o restaurante Miradouro do Castelo neste dia receberá ainda um outro miminho da marca Dona Paterna, como forma de agradecimento pela escolha da sub-região de Monção & Melgaço.

O Restaurante Miradouro do Castelo é o mais antigo da vila de Castro Laboreiro na serra da Peneda, em pleno Parque Nacional da Peneda-Gerês. Os pratos mais procurados da carta são fumeiro castrejo (como entrada), bacalhau à D. António ou com broa, cabrito no forno, e de sobremesa bucho doce ou arroz-doce. Morada: Vila de Castro Laboreiro, 4960-061, Melgaço. As reservas podem ser efetuadas através do telefone 251 465 469.

Um Terroir único no mundo
Graças à exposição atlântica e a um clima caracterizado por elevada pluviosidade, humidade atmosférica, temperatura amena e pequenas amplitudes térmicas, a casta alvarinho atinge neste terroir o máximo das suas potencialidades.

O vinho Alvarinho é um vinho nobre. Esta casta só se produz até 200 metros de altitude, e é aqui que esta casta encontra as condições ideais para o cultivo e maturação. Por isso a sua raridade e baixa produção. Monção e Melgaço é, não só o berço, mas o solar do Alvarinho.

A sub-região de Monção e Melgaço foi criada em 1908, integrada na Região dos Vinhos Verdes, mas a casta Alvarinho existe em Portugal há mais de 700 anos.

Dona Paterna dende 1990
Localizada numa das mais importantes sub-regiões da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, a sub-região de Monção e Melgaço, a adega Dona Paterna situa-se, concretamente, no município mais a norte de Portugal, Melgaço, na Quinta da Carvalheira, no centro da freguesia de Paderne, uma região fortemente marcada pela cultura da vinha, nomeadamente da casta alvarinho, uma das castas brancas mais ilustres e considerada, por muitos, a melhor casta branca enxertada nas vinhas portuguesas.

Em seu redor é possível admirar, para além da rica paisagem natural, o antigo Mosteiro e a sua vetusta igreja românica, considerado monumento nacional. Uma velha tradição histórica refere que o Mosteiro de Paderne terá sido fundado no século X por D. Paterna, casada com o Conde D. Hermenegildo, governador de Tui (Espanha) e irmã do famoso São Rosendo da Ordem dos Cónegos Regrantes de Stº Agostinho. O nome desta freguesia tem aqui a sua origem e, honrando a História, o nome deste vinho – Dona Paterna.

O alvarinho Dona Paterna nasceu da paixão de Carlos Codesso que, inspirado pelo seu pai, Manuel Francisco Codesso, desde muito novo se interessou pela viticultura. Obstinado e incentivado pelo progenitor, em 1974, iniciou as primeiras plantações de alvarinho. O acumular de experiência, o contacto com a vinha, o cultivo de videiras, o explorar e conhecer o terroir e, por fim, a experiência na vinificação, foi a pedra-base para a criação, em 1990, da marca de vinho alvarinho Dona Paterna. “Foram das primeiras vinhas contínuas em Melgaço. Comecei a produzir vinho, como lavrador, na altura nas designadas adegas de garagem, e a participar em concursos de vinho, recebendo algumas distinções. Em 1990 decidi criar a marca Dona Paterna.», conta Carlos Codesso. Esta relação entre o vinho e o terroir onde se insere, a sub-região Monção e Melgaço, o respeito pelo meio ambiente, bem como a aposta na tecnologia, permite hoje apresentar diferentes perfis de alvarinho Dona Paterna de elevada qualidade, entre vinhos, espumantes e aguardentes.

Outros artigos