Galeusca pola diversidade lingüística e cultural no ámbito educativo

Declaración conxunta rememorando o pacto solidario trinacional de 1923

Santiago de Compostela | As três entidades de educaçom popular rememoram o pacto solidário trinacional, subscrito por primeira vez em Barcelona, em 1923, reconhecendo-se promotoras dumha educaçom democrática, laica, pedagogicamente renovadora, sem fins lucrativos e autocentrada nas respectivas realidades nacionais.

A declaraçom conjunta decorrerá no vindouro 11 de junho, às 11:30 h. no Museu do Povo Galego (Compostela), num ato apresentado polo escritor Séchu Sende, no qual participarám representantes das três instituiçons -Santiago Quiroga, Coordenador Nacional das Escolas de Ensino Galego Semente; Koldo Tellitu, lehendakari de Ikastolen Elkartea; Eva Bertrana, Diretora Geral de La Bressola-, membros e crianças do projeto Semente, assim como a reconhecida música Guadi Galego, que encerrará o ato com um canto à liberdade e à diversidade linguística peninsular.

A alegaçom interinstitucional vindica o direito à educaçom nas línguas próprias, reclamando a eliminaçom das restriçons linguísticas no âmbito educativo, por limitarem as oportunidades das futuras geraçons de galegas, bascas e catalás. Do mesmo modo, ressaltam a importância da diversidade cultural como parte fundamental dos alicerces para um desenvolvimento curricular específico, favorecedor de valores interculturais e impulsor da diversidade epistemológica no Planeta.

No escrito, as entidades denunciam o incumprimento sistemático dos Estados español e francés da Carta Europea das Línguas Regionais ou Minoritárias. Neste sentido, exigem a sua efetivaçom íntegra para a preservaçom do seu património linguístico.

Ademais, mostram preocupaçom pola ingerência dos Tribunais na planificaçom linguística educativa, pois consideram que estám a restringir a aplicaçom de modelos plurilíngues aditivos, com reconhecido prestígio científico internacional.

Finalmente, realizam um chamado à construçom dumha soberania educativa plena, que permita blindar o exercício do direito universal a uma educaçom própria. A jornada de irmandade internacionalista continuará na escola Semente (Moas de Abaixo, 20) com um jantar popular, às 14 h.; um espetáculo de Circus Magnificus, às 17 h.; e a partir das 18:30 h., palestras de Koldo Tellitu, Eva Bertrana, Olatz de Bilbao – Diretora pedagógica da Bressola-, Guillem Nivet -Membro da Bressola- e umha mesa redonda sobre normalizaçom das línguas menorizadas, moderada por Uxía Bolanho.

Deixa unha resposta

Este sitio emprega Akismet para reducir o spam. Aprende como se procesan os datos dos teus comentarios.

Outros artigos