Feira de Alvarinho de Monção

Com um crescimento na faturação na ordem dos 40%

Monção | Depois do colossal sucesso da Festa do Alvarinho e do Fumeiro de Melgaço, que contou com a presença de mais de 50 mil pessoas e que, de acordo com os produtores, gerou um crescimento na faturação na ordem dos 40%, relativamente à FAFM de 2019, o último ano em que o evento decorreu nos moldes habituais, os produtores de alvarinho da sub-região de Monção & Melgaço voltam a reunir-se, desta vez na Feira de Alvarinho de Monção, que decorre até domingo.

“Mais um importante evento de promoção da nossa sub-região, essencialmente do nosso alvarinho.”, salienta Manoel Batista, que marcou presença no evento, felicitando e encorajando os produtores por todo o trabalho e empenho que dedicam à sub-região.

Com a presença da Secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira, o autarca de Melgaço aproveita este momento para voltar a insistir na urgência do debate sobre a criação de uma DO (Denominação de Origem) própria para a sub-região de Monção & Melgaço.  “É necessário que a onda aconteça, que a região esteja convicta que este é o caminho, que a ambição passa por aí. Se houver essa união, será uma região vencedora em relação a este objetivo concreto. Claramente estamos a falar da região dos vinhos verdes com mais dinamismo, maior afirmação, maior diferenciação, que puxa pelo preço dos vinhos verdes e da região. Não há nenhuma outra que tenha, neste momento, valor acrescentado como têm Monção e Melgaço. Portanto, estamos à frente, faz sentido que sejamos reconhecidos e tenhamos uma DO própria nos próximos anos.», considera Manoel Batista que, aliás, a propósito do Dia de Monção & Melgaço, assinalado no passado dia 7 de junho, tinha, uma vez mais, reivindicado a urgência deste tema.

Saiba-se que o Dia de Monção & Melgaço, simbolicamente fixado aquando da publicação da Portaria n.º 152/2015, que consagra o Acordo no Regulamento do Vinho Verde, é um momento para celebrar o excelente território vinícola desta sub-região, mas também os produtores, que têm sabido aproveitar o potencial desta região, com inovação e aposta na qualidade. E prova disso são as distinções que têm recebido para os seus vinhos, quer a nível nacional como internacional.

Outros artigos