Antigo Autarca de Monção, José Emílio P. Moreira, lança obra de uma Vida multidimensional

Intitulada “Muitos Sonhos! Algumas Desilusões”

Monção | É uma obra que é o testemunho do presidente da Câmara Municipal de Monção eleito que esteve mais tempo em funções, perto de 17 anos, e que deixou um capital de prestígio que ainda hoje se mantém. Intitulada “Muitos Sonhos! Algumas Desilusões”, José Emílio Pedreira Moreira, Cidadão Honorário de Monção, apresentou, recentemente, o livro com mais de 600 páginas.

Nesta está publicada extensa documentação que, como escreveu e disse Ernesto Português, historiador, amigo e colega dos “tempos da Faculdade de Filosofia [de Braga[, vão desde os tempos de estudante até às últimas reflexões nas redes sociais”, passando pelos trabalho no ensino e na presidência de diversas entidades públicas.

“Aqui se revela e desvela o Homem, o Professor/Educador, o Gestor, o Marido, o Pai, o Avô”, acrescenta Ernesto Português, enfatizando “o sentido de uma Vida multidimensional”.

Por seu lado, José V. Capela, professor catedrático aposentado, sublinha, no prefácio, que “esta obra é muito mais que uma recolha de textos e memórias da vida pública e política. Recolhe textos e reflexões que tocam, em muitos aspetos, com Histórias da vida privada ou em relação com familiares e amigos e outros de reflexões sobre o sentido da vida, ainda que na sua relação com a Sociedade, a Cultura e a Política”.

Por sua vez, José Emílio Pedreira Moreira, em nota explicativa sobre a obra, cita Eça de Queirós para garantir que “um homem só é verdadeiramente homem quando, pelo menos, tem um filho, planta uma árvore e escreve um livro. Ora, tendo três filhos e oito netos, tendo plantado dezenas de árvores e mandado plantar alguns milhares, faltava-me, então, escrever um livro!”.

Nele, dá conta de muitos episódios e fases da sua vida, desde ensaios de juventude, campanhas eleitorais, comemorações e efemérides, atividade no mundo da vitivinicultura, na educação, desporto e cultura, e colaborações na comunicação social, até “visitar o tempo” com textos íntimos.

Com 73 anos de idade, antigo professor de Filosofia, natural e residente em Monção, foi, designadamente, presidente da Câmara da sua terra durante quase 17 anos, além de outros cargos públicos a nível local e regional, como presidente da direção da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, presidente da Adega Cooperativa de Monção (12 anos), fundador da Associação das Adegas Cooperativas da Região dos Vinhos Verdes (REGIVERDE), presidente da Associação de Estudantes da Faculdade de Filosofia de Braga, diretor da Escola Secundária de Monção (cinco anos), além de Cidadão Honorário do Município de Monção (Medalha de Ouro).

Em “Muitos Sonhos! Algumas Desilusões”, deixa ainda um aviso para quem exerce, como sucedeu com ele, diversos cargos públicos. “O poder só tem sentido se for exercido com os outros e para os outros, com a eficácia de resultados para a coletividade beneficiada e com liberdade de alma de quem o exerce”, observa.

A obra pode ser, desde já, adquirida em quiosques e livrarias de Monção, Melgaço e Valença.

Por Manuel S.

Deixa unha resposta

Este sitio emprega Akismet para reducir o spam. Aprende como se procesan os datos dos teus comentarios.

Outros artigos