• Segue conectado
  • |

“Start Me Up Alto Minho” distingue projetos de serviços de turismo rural, produção artesanal de queijo, mel e seus derivados

Start Me Up Alto Minho

A Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho) apresentou no passado dia 26 de junho, as três propostas vencedoras do Concurso de Ideias “Start Me Up Alto Minho”, relacionadas com serviços de apoio ao turismo de alojamento rural, a produção artesanal de queijo e o desenvolvimento de produtos associados ao mel.

A sessão de divulgação dos resultados decorreu no Centro de Remo de Viana do Castelo, tendo contado com a presença do presidente da CIM Alto Minho, José Maria Costa; do porta-voz do júri, Francisco Laranjeira; do coordenador do concurso, Rodrigo Castro; além dos três promotores dos projetos vencedores.

“4STAR – Serviços de Turismo no Alojamento Rural” é o nome do projeto classificado em primeiro lugar, apresentado por Marta Caldas, que visa disponibilizar apoio aos gestores de casas de turismo rural, em serviços tão variados como a limpeza dos espaços, manutenção de jardins e fornecimento de refeições aos hóspedes. O projeto, avaliado em 34.100,00€ de investimento, quer aproveitar o mercado de cerca de 50 casas de turismo rural e alojamento local que existem nos concelhos de Monção e Melgaço, que registam cercam de 9.600 dormidas por ano.

O segundo classificado do Concurso de Ideias foi o projeto “O Caseirão – Produção Artesanal de Queijo”, de Márcia Pereira e Hélder Pedreira. Os dois jovens empreendedores pretendem criar em Paredes de Coura três qualidades de queijo (queijo de vaca de 500 gramas, queijo fresco e requeijão), prevendo um investimento inicial de 84.500,00€.

Em terceiro lugar ficou o projeto “Apicultura não é só Mel”, do apicultor Paulo Garrido, de Viana do Castelo. O objetivo é fazer chegar à mesa do cliente um mel e um pólen de elevada qualidade, “provenientes das encostas de montanhas da região privilegiada do Alto Minho”, aumentando a sua produção, e entrar na indústria da cosmética com o própolis, a cera de abelha e os sabonetes e ainda aproveitar a apitoxina (o veneno da abelha) para a indústria farmacêutica. O investimento inicial neste projeto será de 31.240,00€.

O júri, composto por um grupo de empresários do Alto Minho, nomeadamente, Francisco Laranjeira, José Canão, Joaquim Reis e José Augusto, assim como pelo presidente da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo do Noroeste, Correia da Silva, decidiu ainda atribuir três menções honrosas a três projetos: “Flor Agreste” de Patrícia Oliveira, “Continuum” de Cristina Pessanha e “Happymat” de Sofia Ramos e Cindy Quaresma.

Recorde-se que no âmbito deste concurso de ideias foram selecionadas 44 ideias de negócio a implementar no Alto Minho, sendo que as áreas de produção e comercialização de produtos endógenos de forma artesanal, de serviços de animação turística, de criação de unidades de turismo rural, de serviços de apoio a idosos e de assessoria a empresas, foram as que concentraram maior número de candidaturas.

Promover a criação de uma bolsa de ideias de negócios que possa ser candidatada ao próximo período de programação é o objetivo deste concurso de ideias, para fomentar a capacidade empreendedora da comunidade e estimular o desenvolvimento de novos projetos empresariais no território.

O Concurso de Ideias “Start Me UP Alto Minho” foi uma iniciativa inserida no projeto Alto Minho INVEST, cofinanciada pelo ON.2 – Programa Operacional da Região Norte.

Publicado o 30 Xuñ 2015 en Alto Minho, Economía, Portada.
Síguenos no noso canal do TELEGRAM

Iniciar sesión

Uso de cookies

Este sitio web utiliza as cookies para que vostede teña unha mellor experiencia de usuario.
Si continúa navegando está a dar seu consentimento para a aceptación das mencionadas cookies e a aceptación da nosa política de cookies.
Faga click no enlace política de cookies para maior información. ACEPTAR

Aviso de cookies