• Segue conectado
  • |

Linguagem oral, avaliar e previr precocemente

Sessões realizam-se nos dias 3 e 4 de fevereiro na Biblioteca Municipal de Monção, dirigindo-se a técnicos com intervenção na área social e educacional e a encarregados de educação com filhos no pré-escolar e no 1º CEB.

 

Monçao | No âmbito do projeto “Linguagem Oral – Avaliar e Intervir Precocemente”, financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, estão agendadas duas ações de formação dirigidas a encarregados de educação e a técnicos com intervenção na área social e educacional.
As sessões, a cargo de João Canossa Dias, decorrem nos dias 3 e 4 de fevereiro na Biblioteca Municipal de Monção. No dia 3, sexta-feira, pelas 21h00, está prevista a conferência “O Quebra-Cabeças: Como promover o domínio da leitura e escrita”. Com duração de 2h30, tem como destinatários pais com filhos no pré-escolar e no 1º CEB.
Nos dias 3 e 4, sexta-feira e sábado, a ação de formação destina-se a técnicos que atuam na área social e educacional. O tema geral é “Dificuldades na Comunicação, Linguagem e Fala: Compreender, Identificar e Prevenir”. No total, tem a duração de 12h00.
Formado em terapia da fala pela Escola Superior de Tecnologias da Saúde do Porto, João Canossa Dias é mestre na área das Ciências da Educação pela Universidade de Coimbra e graduado em Master of Science na área das perturbações da comunicação pela Universidade de Groningen.
O projeto “Linguagem Oral – Avaliar e Intervir Precocemente” têm como objetivos gerais a avaliação de todas as crianças de Monção com 4 anos nos diversos domínios da linguagem, a deteção de atrasos graves de desenvolvimento e a planificação de intervenções especializadas dirigidas às crianças com necessidades educativas especiais.
Pretende-se detetar e intervir precocemente para promover a reabilitação e integração escolar e social de crianças e jovens com necessidades educativas especiais. Contexto onde os educadores e encarregados de educação assumem um papel central quer na deteção quer na utilização de estratégias de intervenção.
O projeto, resultado de uma candidatura à Fundação Calouste Gulbenkian, envolve diversos parceiros: o Município de Monção, entidade promotora, o Agrupamento de Escolas de Monção e a Associação de Paralisia Cerebral de Viana do Castelo.

Publicado o 25 Xan 2017 en Monção.
Síguenos no noso canal do TELEGRAM

Iniciar sesión

Uso de cookies

Este sitio web utiliza as cookies para que vostede teña unha mellor experiencia de usuario.
Si continúa navegando está a dar seu consentimento para a aceptación das mencionadas cookies e a aceptación da nosa política de cookies.
Faga click no enlace política de cookies para maior información. ACEPTAR

Aviso de cookies