• Segue conectado
  • |

Gabriela Albergaria vai ‘Desencaminharte’ em Cerveira

Vila Nova de Cerveira | Numa alusão às primeiras intervenções artísticas afetas às bienais de arte de Cerveira realizadas no Parque de Lazer do Castelinho, a artista Gabriela Albergaria vai criar um rasgo granítico junto à margem do rio Minho, metaforizando a ousadia de um evento que há 40 anos rasgou horizontes. Esta é uma das 10 obras que integram a 2ª edição do Desencaminharte.

Promovido pela CIM Alto Minho, o DES’18 procura colocar a arte em diálogo com o território e com a população, potenciando a sua missão de serviço público – arte democrática, aberta e pensada à escala humana e do lugar – e, assim, transmitindo aos cidadãos a noção de pertença, partilha e espírito de comunidade rural e urbana.
Em cada um dos 10 concelhos alto-minhotos vai nascer uma instalação artística pública a funcionar como leitores de paisagem, passando a integrar um tipo de roteiro que procura atrair visitantes e exponenciar as identidades próprias de cada local.

No caso concreto do concelho de Vila Nova de Cerveira conhecido, nacional e internacionalmente, como a ‘Vila das Artes’, fruto da ousadia e do exemplo de resiliência das bienais de arte e dos seus fundadores, a artista Gabriela Albergaria inspirou-se na conjugação entre a arte e a natureza para plena contemplação e usufruição da população. No Parque de Lazer do Castelinho vai nascer uma fenda no solo, entre choupos e bétulas, emulando as marcas, na terra, das cheias do rio Minho, e transportando, para a margem, a rugosidade granítica das montanhas em volta, com as pedras que suportarão esta obra que marca a sua estreia numa peça ao ar livre.
Para o Município de Vila Nova de Cerveira, a utilização daquele parque como meio d eintervenção artística, não só promove a valorização do património natural e construído com ligação à água, como assume uma forte relação com a Comemoração do 40º aniversário da Bienal de Arte, cujas primeiras edições decorreram no Castelinho.
Os promotores do ‘Desencaminharte’ – o Coletivo Hodos – pretendem enxertar no território alto-minhoto novos pontos de interesse, com a assinatura de artistas reconhecidos e outros emergentes, que foram desafiados a conceber obras que, para além do seu valor intrínseco, funcionassem como leitores de paisagem.

As 10 obras do ‘Desencaminharte’18 serão inauguradas à medida que forem instaladas, até 15 de dezembro. O evento culminará com a edição de um catálogo já em 2019.

Publicado o 20 Out 2018 en Cultura, Norte de Portugal, Vila Nova de Cerveira.
Síguenos no noso canal do TELEGRAM

Iniciar sesión

Uso de cookies

Este sitio web utiliza as cookies para que vostede teña unha mellor experiencia de usuario.
Si continúa navegando está a dar seu consentimento para a aceptación das mencionadas cookies e a aceptación da nosa política de cookies.
Faga click no enlace política de cookies para maior información. ACEPTAR

Aviso de cookies