• Segue conectado
  • |

Famalicão ganha 321 novos empregos

VILA NOVA DE FAMALICÃO | A Câmara Municipal acaba de garantir a criação de 321 novos postos de trabalho no concelho através do apoio a novos projetos empresariais que totalizam um investimento de 11,5 milhões de euros.

Estes são os números que traduzem os projetos de seis empresas com atividade no território famalicense, duas das quais provenientes de fora do concelho, apoiados pela Câmara Municipal através da concessão de benefícios fiscais quanto ao IMI, ao IMT e às taxas de licenciamento de operações urbanísticas, num esforço financeiro do município que ronda o meio milhão de euros.

As seis empresas foram contempladas com apoios ao investimento após verem aprovadas as suas candidaturas aos Projetos de Investimento de Interesse Municipal – Made 2IN, programa que define o interesse público de novos projetos empresarias e regulamenta os apoios a conceder pelo município em função desse interesse.

Entre elas estão a sociedade Manuel Azevedo e a PCJM Concept – Mobiliário Expositor Unipessoal, Lda. que, num sinal claro da atratividade do território famalicense para o investimento, mudaram-se para o concelho de Vila Nova de Famalicão.

A Manuel Azevedo comprou as instalações da antiga Fitor em Avidos. Em causa está um investimento de 5 milhões de euros, com a criação de 300 postos de trabalho, apoiado pela autarquia com uma redução de 95% tanto do IMT (Imposto Municipal sobre Transações) como do IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) para os próximos cinco anos, o que representa 412.663,00 mil euros em benefícios fiscais.

A empresa de meias e peúgas funcionais e técnicas desenvolveu a sua atividade em Santo Tirso durante 20 anos. Agora não está apenas a iniciar o seu negócio em Vila Nova de Famalicão como transferiu a sede social para este concelho. Trata-se de uma empresa 100% exportadora com a Inglaterra como principal mercado.

As outras empresas que dão corpo a estes novos investimentos empresariais são a Vieira de Castro – Produtos Alimentares, a COMEIP – Moldes e Cortantes, a Argacol – Tintas e Vernizes e a Ângela Sá Fernandes, Lda.

vieira de castro

A Vieira de Castro prepara-se para investir 4 milhões de euros na ampliação das instalações industriais, em Gavião, criando cinco novos postos de trabalho. A Câmara Municipal aprovou a redução para metade das taxas municipais de licenciamento das operações urbanísticas a realizar pela empresa, num montante estimado de 16.526,66 euros, e a redução do IMI cuja estimativa calculada para os próximos cinco anos é de 39.811,00 euros.

A COMEIP – Moldes e Cortantes, sediada em Ribeirão, vai iniciar a construção de um edifício para fabricar habitações modulares com estrutura em aço e revestimento exterior com novos materiais como a cortiça. Em causa está um investimento de 1,2 milhões de euros e a criação de seis postos de trabalho. O apoio da autarquia a este projeto consiste na redução para metade das taxas municipais de licenciamento, num montante estimado de 6.341,25 euros.

A Argacol, também sediada em Ribeirão, vai avançar com a construção de uma nave que servirá para reorganizar o seu layout, criando uma nova área de armazenamento de produtos acabados, num investimento de 600 mil euros e seis novos postos de trabalho. O apoio da autarquia a este projeto consiste na redução para metade das taxas municipais de licenciamento, num montante estimado de 3.411,20 euros, e na redução do IMI cuja estimativa calculada para os próximos cinco anos é de 7.425,00 euros.

A sociedade Ângela Sá Fernandes, Lda. solicitou apoio técnico para a realização de um investimento através da aquisição de um terreno e a construção de um edifício, em Lousado, no montante de 350 mil euros, prevendo a criação de um posto de trabalho. A Câmara Municipal aprovou a redução para metade das taxas municipais de licenciamento, num montante estimado de 2.793,08 euros, e a redução do IMI cuja estimativa calculada para os próximos cinco anos é de 853 euros.

Por fim, a PCJM Concept – Mobiliário Expositor Unipessoal, Lda. escolheu o concelho famalicense, mais concretamente a freguesia de Oliveira S. Mateus, para expandir o negócio após a ampliação e alteração do uso de uma construção licenciada para armazém, num investimento de 298.225,08 euros. O apoio da autarquia a este projeto consiste na redução para metade das taxas municipais de licenciamento, num montante estimado de 2.058,40 euros.

Para além dos benefícios fiscais concedidos a estes projetos por via da declaração do seu interesse público, a Câmara Municipal atribui um gestor de processo a cada um deles, assegurando assim uma estreita colaboração com os empresários.

As propostas destes novos investimentos empresariais foram aprovadas nas duas últimas reuniões do executivo camarário, realizadas a 6 de agosto e a 3 de setembro. O Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, congratula-se com estes novos investimentos, considerando que “são mais um sinal da atratividade do território em termos empresariais e ajudam a reforçar Vila Nova de Famalicão como um dos principais centros industriais de Portugal, com empresas de referência nacional e internacional, fundamentais no robustecimento da economia portuguesa”.

Publicado o 3 Set 2015 en Economía, Portada, Vila Nova de Famalicao.
Síguenos no noso canal do TELEGRAM

Iniciar sesión

Uso de cookies

Este sitio web utiliza as cookies para que vostede teña unha mellor experiencia de usuario.
Si continúa navegando está a dar seu consentimento para a aceptación das mencionadas cookies e a aceptación da nosa política de cookies.
Faga click no enlace política de cookies para maior información. ACEPTAR

Aviso de cookies