• Segue conectado
  • |

A Branda de Santo António de Vale de Poldros candidata ao concurso nacional “7 Maravilhas de Portugal – Aldeias”

Monçao | A Branda de Santo António de Vale de Poldros, na freguesia de Riba de Mouro, é candidata ao concurso nacional “7 Maravilhas de Portugal – Aldeias” na categoria de aldeia autêntica, uma das sete a concurso. O lema é “Do passado autêntico ao futuro inspirador”.

Entre 21 e 31 de março, um painel de 49 especialistas, 7 de cada uma das 7 regiões, vota para escolher as 49 pré-finalistas. Estas serão reveladas a 7 de abril, após validação do conselho científico, começando a fase de promoção e campanha de votação dos promotores das candidaturas.

A votação seguinte, apenas por chamada telefónica, decorre entre 3 de julho e 20 de agosto. Cada categoria está em votação durante uma semana. Todos os domingos, a partir de 9 de julho, a RTP vai transmitir uma gala dedicada a cada uma das sete categorias.

 

Com as “7 Maravilhas de Portugal – Aldeias”, a organização pretende mostrar um Portugal renovado que se afirma com valores de proximidade, simplicidade, autenticidade e tudo o mais que é criado por pessoas e para pessoas. A ideia é fazer das aldeias do passado algo valioso para o futuro de Portugal.

A Branda de Santo António de Vale de Poldros é um conjunto arquitetónico de inestimável valor patrimonial, constituindo um ótimo exemplo de povoamento de transumância: povoados de montanha para onde os vigias (brandeiros) levavam o gado durante os meses de verão, descendo novamente às suas povoações de origem, as inverneiras, a partir de Setembro.

Durante esse período de veraneio, brandeiros e gado abrigavam-se nas chamadas cardenhas, estruturas pequenas e aparentemente toscas construídas em alvenaria de granito e belíssimas falsas cúpulas de lajes graníticas que subsistem ao longo do tempo.

Nas últimas décadas, estas atividades agrícolas e pastoris foram perdendo importância e, com as novas gerações, praticamente abandonadas. Em paralelo, as construções em Santo António de Vale de Poldros foram sendo transformadas em segundas habitações, de lazer e de férias.

Apesar disso, o grande valor patrimonial deste núcleo de povoamento e de muitas das suas construções permanece intacto, revelando-se de grande importância sob o ponto de vista cultural e social e assumindo-se como alavanca turística em zonas de montanha.

Nos dias que correm, as cardenhas deixaram de recolher os pastores ou o gado, contudo, a sua dispersão pela branda releva aspetos ancestrais de ruralidade numa paisagem única de muitos encantos que constitui indubitavelmente uma das maravilhas de Portugal.

Publicado o 20 Mar 2017 en Monção.
Síguenos no noso canal do TELEGRAM

Iniciar sesión

Uso de cookies

Este sitio web utiliza as cookies para que vostede teña unha mellor experiencia de usuario.
Si continúa navegando está a dar seu consentimento para a aceptación das mencionadas cookies e a aceptación da nosa política de cookies.
Faga click no enlace política de cookies para maior información. ACEPTAR

Aviso de cookies